Babadook: O que é e como explicar o filme

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O Babadook é a história da Amélia (Essie Davis), uma mulher viúva que luta com seu filho problemático de seis anos, Sam (Noah Wiseman). Inicialmente, Amélia não parece acreditar nas teorias de Sam sobre monstros. Mas, ela logo percebe que pode haver algo estranho no armário.

Se você ainda não viu o ‘O Babadook’, sugiro que pare por aqui, assista ao filme e volte para descobrir as coisas que o confundiram.

Confie em mim, há muito assunto que você gostaria de discutir após o término. Existe uma grande quantidade de simbolismo que aparece ao longo do filme.

Amélia e Sam conversam na cama em The Babadook

Do que se trata o filme

O filme é um thriller sobrenatural que lida com questões desafiadoras da vida real, como luto, cuidados, bem-estar e as dificuldades de ser uma mãe solteira.

O que é O Babadook

De acordo com comentários encontrados nos fóruns e blogs o nome pode ser um um anagrama de “A Bad Book” (um livro do mal). O filme abre margem para pensar se foi a própria Amélia que escreveu o livro (ela costumava ser escritora, suas mãos estão sujas de carvão quando vai à delegacia) e, uma vez que o livro deu certo, o problema ficou real.

Versão escura do monstro  The Babadook

O que significa o nome (versão da diretora)

Jennifer Kent disse em uma entrevista a um site americano que algumas pessoas da produção falaram que o nome da criatura parecia “bobo”, e ela concordou. “Eu queria que fosse algo que uma criança pudesse inventar, como ‘jabberwocky’ ou algum outro nome sem sentido”, explicou ela. “Eu queria criar um novo mito que fosse apenas desse filme e que não existisse em nenhum outro lugar”.

Aproveite e veja também 7 Filmes Parecidos Com Babadook

Como é O Babadook

O Babadook em si aparece uma mistura de monstros dos pesadelos mais extravagantes; em flashes, é uma fusão de Edward Mãos de Tesoura, Freddy Kruger, com traços de um anjo sombrio, aranha inominável e uma ave de rapina.

The Babadook no livro

Tim Purcell trabalhou no departamento de arte do filme, mas depois foi convencido a interpretar o personagem titular depois que ele atuou como a criatura para alguns testes de câmera. “Eles perceberam que poderiam economizar algum dinheiro se eu fosse o próprio Monstro e, portanto, eu me tornei O Babadook”, disse Purcell.

versão completa do bicho The Babadook

O que O Babadook representa

A diretora e escritora do filme, Jennifer Kent, já declarou que criou “O Babadook” porque “queria falar sobre a necessidade de enfrentar a escuridão em nós mesmos e em nossas vidas”.

Em entrevista ao The Guardian em 2014, ela explicou: “Essa foi a idéia central para mim: pegar uma mulher que realmente tenha tentado fugir de uma situação traumatizante por muitos anos e que agora tenha que enfrentá-la. O horror é realmente apenas um subproduto.”

Amélia assistindo TV com o cachorro no colo no filme Babadook

O filme, foi uma das obras cinematográficas mais emocionantes – e mais verdadeiros – que dialoga sobre a perda e sofrimento, e como eles podem corroer e consumir, mas também nos fazem, nos remodelam, nos mudam.

Alguns podem dizer que o Babadook é seu marido Oskar. É o aniversário de sua morte, afinal. Ele é o gatilho de toda a situação. É a perda dele que entristece Amélia. Mas, quanto mais você pensa sobre isso, mais isso corrobora com a teoria da depressão.

Trecho de uma cena do filme em que aparece uma paleto e um chapéu

Pessoas deprimidas geralmente não aceitam o fato. Eles usam uma fachada para mostrar ao mundo que estão bem. Amélia faz uma coisa semelhante com seus amigos e familiares. Há um sorriso no rosto, mas uma tristeza inegável em seus olhos.

Como entender o filme

Kent também disse ao Film Journal que “O Babadook é um filme sobre uma mulher que acorda de um sono longo e metafórico e descobre que tem o poder de proteger a si mesma e a seu filho”.

Ela observou que todo mundo tem trevas para enfrentar. “Além do gênero e além de assustador, essa é a coisa mais importante do filme – enfrentar o lado sombrio.”

Amélia dormindo em The Babadook

Como termina Babadook

Quando o Babadook se aproxima, de braços abertos, para pegá-la, Amélia grita: “esta é a minha casa”. Aqui, ela está marcando seu território, denotando que seu corpo, sua mente e ela está no controle.

Então é só isso? Tudo o que ela tinha que fazer era dizer isso? Eu acho! Para resolver um problema, você deve começar aceitando que existe um problema.

Ao longo do filme, Amélia continua dizendo que ela não precisa de ajuda, ela só precisa dormir. Mas depois, quando o Babadook está em plena posse dela, ela diz a Sam que está doente. À medida que a aceitação é feita, o processo de cura é iniciado.

Parte do livro retratado em The Babadook

Ela não apenas aceita sua doença, mas também aceita o amor de Sam. Vemos no filme como ela se sente desconfortável ou se afasta quando Sam tenta abraçá-la ou se aproxima dela.

No final, quando ela o está estrangulando, ele diz que a ama, não importa o que aconteça, e acaricia carinhosamente suas bochechas. Esse ato de amor fornece mais incentivo e poder a Amélia para combater seus problemas.

E os vermes no final?

Controlar o Babadook significa que Amélia está no controle da escuridão dentro dela, mas não pode se livrar facilmente. Sempre será uma parte do seu “Eu”.

A alimentação dos vermes ao Babadook significa que ela às vezes pode sofrer. Ela nunca esquecerá o marido e a dor nunca a abandonará. Porém, ela pode sair do porão e não perder a cabeça por causa do trauma.

Parte dos vermes no filme

A entidade não irá embora, nunca. Em uma cena anterior, Amélia vê o Babadook por trás da Sra. Roach. Isso significa que até a sua vizinha tem seus próprios demônios no armário. Portanto, ninguém está realmente livre do Babadook. Você só precisa ser capaz de dominá-lo.

 Sra. Roach conversando com Amélia

Quem é a roteirista e diretora do filme?

Jennifer Kent entrou na indústria cinematográfica atuando e teve um papel principal na série de televisão australiana “Murder Call”, além de outros papéis em outros programas da Tv australiana.

Entrevista com Jennifer Kent, diretora do filme
Entrevista com Jennifer Kent para a Vanity Fair

No entanto, ela perdeu o interesse em atuar e ganhou uma nova inspiração de um diretor que é conhecido por ter um desejo inabalável em compartilhar sua visão de mundo – Lars Von Trier.

Ela acabou escrevendo uma carta muito pouco profissional, basicamente dizendo que ela preferia morrer a ir para a escola de cinema e no final pedia para estudar com ele. Sua carreira por trás das câmeras começou quando ele a trouxe para ajudá-lo em “Dogville”.

Enquanto trabalhava em “Dogville” e sob a direção de Von Trier, ela aprendeu uma lição valiosa que lembra e descreve constantemente em entrevistas. “O que eu aprendi sobre Lars e carreguei comigo é o quão teimoso ele era. “

“Ele tinha uma visão e, mesmo que fosse idiossincrático, ele era forte. Como mulher, isso era algo que eu realmente precisava aceitar.”, disse Kent.

Por que o babadook virou um ícone gay?

Os artistas não podem prever como seu trabalho será recebido pelo mundo. O personagem título do Babadook começou a receber reconhecimento inesperado da Internet em fevereiro de 2017, quando um usuário do Tumblr postulou se ele é, de fato, gay.

Esta leitura do personagem incompreendido, ressoou na comunidade LGBTQ, e os brilhantes memes da Internet seguiram a onda.

“Acho que ele é um estranho que vem de fora”, disse Kent. “É engraçado. É encantador comunidade a comunidade gay tenha se apegado a ele. É muito fofo. Ele está tentando prolongar sua vida, ele está tentando permanecer relevante.”

Versão Orgulho gay do Bluray de The Babadook

Kent também admitiu que tem sua própria cópia do Blu-ray da edição limitada da pride, que ela exibe com orgulho.

“Recebi uma cópia pelo correio”, disse ela. “Tem um lugar de destaque na minha estante.”

Onde assistir Babadook Online

No momento está disponível na plataforma de streaming da Amazon. Você pode assistir assinando a Amazon Prime.

Vai sair O Babadook 2?

Jennifer Kent que detém os direitos de The Babadook, disse ao IGN que, apesar da popularidade do filme original, ela não planeja fazer nenhuma sequência. “A razão para isso é que nunca permitirei que uma sequência seja feita, porque não é esse tipo de filme”, ​​disse ela. “Eu não me importo com o quanto me ofereçam, simplesmente não vai acontecer.”

Final

O Babadook é sobre o sofrimento humano. A perda de um ente querido não é algo que você possa esquecer completamente, mas é algo que você pode trancar e impedir de assumir o controle de sua vida.

Haverá momentos em que você precisará alimentar esse sofrimento para mantê-lo afastado, mas não necessariamente será algo que a impeça de viver uma vida feliz.

Com o tempo, a dor pode melhorar, mas nunca deixará de ser perturbadora e nunca desaparecerá completamente.

Afinal, você não pode se livrar do Babadook.